imagem07-01-2018-20-01-00

Uma das mais comuns doenças dos olhos, quase sempre contagiante, que exige não só a intervenção de um especialista, mas também ajuda os pacientes a não espalhar.

O olho sente coceira, inflamação interna, tampas, aparecem de muco espesso e crostas nos cílios. A forte luz me incomoda. Estes são alguns dos sintomas da conjuntivite (inflamação da superfície de membranas de olho) das doenças oculares mais comuns. Não é grave, mas também não deve ser esquecido: a complicações envolvendo a córnea (querato-conjuntivite) pode causar graves inconvenientes para a meses.

SUAS CAUSAS

A doença tem várias origens:

  • Irritantes
  • Trauma
  • Alergias
  • Bactérias
  • Vírus
  • Esta última variante é a mais contagiosa, porque ele se espalha cedo, antes de o paciente vai perceber os sintomas; além disso, o adenovírus fora do corpo pode estar ativo por dias e transformar uma toalha, partilhadas, uma piscina com os amigos ou com a mão estendida em perigosos instrumentos de contágio.

    ASSIM É A PREVENÇÃO

    O tratamento da conjuntivite em qualquer de suas formas, deve permanecer nas mãos de um oftalmologista, mas as pessoas afetadas e aqueles que o controle é responsável por impedir a propagação dos membros da família, parentes e colegas. Algumas etapas são essenciais:

  • Não tocar os olhos ou esfregando-os com os dedos.
  • Lave as mãos com frequência, usando água morna e sabão.
  • Lave as secreções duas vezes ao dia com algodão ou tecido novo que são descartados imediatamente.
  • Lave lençóis, fronhas e toalhas de banho com água quente e detergente.
  • Sem maquiagem dos olhos e muito menos de partilha da maquiagem.
  • Preferem óculos para lentes de contato.
  • Não compartilhar utensílios de uso diário, que não tenham sido cuidadosamente lavados.
  • Importante: durante a fase aguda do curso da doença, as crianças não devem ir para a escola ou para o jardim. O ideal seria que os adultos nem concurrieran de seus postos de trabalho, mas se isso foi feito imperativo deve tomar recursos extras para evitar o contato físico direto ou indireto com os seus pares.
  • NÃO TOCAR OS OLHOS PARA EVITAR A GRIPE

    Em relação ao atual pandemia de influenza A H1N1, deve ser lembrado que o conjuntivo são a porta de entrada para muitas infecções. Um dos mecanismos típicos da propagação da gripe é de esfregar os olhos, sem lavar as mãos. Em geral, não é aconselhável levar os dedos aos olhos, mas no caso de uma epidemia viral (como o rosto) não se enquadram nessa obrigatoriedade, muitas vezes provocada por prurido de origem alérgica, adquire um valor decisivo. A alternativa correta é lavar os olhos com água em abundância ou com colírio prescrito.

    * Esta nota foi orientado e supervisionado pelo oftalmologista Dr. Ricardo Alberto Masini (MN 81168), um membro do Serviço de Glaucoma e Cirurgia do Olho do Hospital Dr. Pedro Lagleyze.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *